sexta-feira, 9 de março de 2012

Ele é prudentino, viajou pelos 7 mares, conheceu inúmeros países e no trabalho profissional conviveu com a tripulação do "Costa Cruzeiros".

                                    Paulo Henrique Domingues (Paulinho) trabalhou desde 2002 nos navios da "Costa 
                                         Cruzeiros" e viajou pelo mundo inteiro. Ele é natural de Presidente Prudente e fala cinco
                                                          idiomas, é contabilista, mas preferiu o ramo de  Hotelaria.
















                                    
                        Paulinho foi integrante da equipe do Capitão Franchesco Schettino, o mesmo que comandava  recentemente Navio "Costa Concórdia"  que naufragou na Itália.  Na foto histórica: ele, o Comandante Schettino (ao centro) e o 2º  Cte. Cap. Severino, que faziam parte da  tripulação do "Costa Europa"..

  •     Atualmente com 40 anos de idade, Paulo Henrique Domingues pode se orgulhar de ter vivido a melhor fase de sua vida, viajando e trabalhando ao mesmo tempo. Formado em Contabilidade, mudou de profissão e foi conhecer o mundo percorrendo os 7 mares. Em cada dia, uma nova região  e em cada Porto, ou em cada cidade a oportunidade de dialogar com pessoas em linguas diferentes. Foi assim que ele viveu os últimos dez anos de sua carreira de sucesso profissional, depois de concluir diversos cursos de cozinha, ministrados pelo Senac no Hotel Águas de São Pedro. Desde então começou a viajar pelo mundo, começando pelo Canadá, onde trabalhou durante três meses em 2001, após sua formação profissional. Depois optou pelo trabalho embarcado, em cruzeiros, nos navios que fazem a rota internacional. Percorreu inúmeros paises, viajando e trabalhando. Mas agora decidiu dar um "Stop" e conviver uma nova fase em sua  terra natal: Presidente Prudente. 

Em nossa versão antiga (mês 07/2008) mostramos matéria especial sobre a atividade desenvolvida pelo prudentino, Paulo Henrique Domingues como membro atuante nos Navios "Costa Cruzeiros" em suas viagens pelo mundo. O relato é muito interessante porque em todas as excursões, os brasileiros estão sempre presentes, como turistas ou prestadores de serviços. Paulinho era um deles. Foi contratado para prestar serviços a uma grande empresa internacional que operava em todos os continentes com 13 embarcações de alta categoria. As viagens começavam no Atlântico - na costa brasileira - e depois ingressavam no Pacífico seguindo em direção aos demais continentes e chegando à Itália, Grécia, Espanha, Marrocos, Croácia e outros paises que figuravam no roteiro, além do Mediterrâneo.

Com a experiência adquirida no ramo de Hotelaria e grandes Restaurantes de São Paulo, Paulinho era sempre um dos primeiros requisitados e contratados pelas empresas multinacionais para essas viagens. Em média, dez dias por Cruzeiro e contrato renovado em cada viagem. Em se tratando de países diferentes foi necessário apreender a falar outros idiomas além do Portugues; e por isso, ele precisou se adaptar à cada região visitada, falando o Inglês, Espanhol, Fancês, o Italiano e um pouquinho do Alemão. Na Costa brasileira ele participou de inúmeros Cruzeiros. O mais importante foi acompanhar Roberto Carlos, como Artista contratado para shows a bordo. 

Falando sobre a evolução do Turismo pelo mundo e o temor de algumas pessoas quanto à ocorrência de tragédias em alto mar, Paulo Henrique Domingues lembra que tanto as viagens maritmas como aéreas são ainda as que oferecem maior segurança aos turistas. Com base nas Estatisticas, bicicletas e motos nas cidades provocam muito mais acidentes do que navios e aviões no mundo inteiro - diz ele. Durante quase dez anos de trabalhos pelos mares de nosso Planeta, sòmente dois casos são citados como trágicos: o do Titanic e do "Costa Concórdia" mais recentemente.

Viajar de Navio - diz Paulinho -  representa ainda a melhor alternativa para conhecer o mundo - de cidade em cidade - pois o preço das viagens diminuiu muito.O custo-benefício é o que mais chama a atenção dos que viajam pelos 7 mares, a começar pelas refeições. São cinco ao dia: café da manhã, almoço, café da tarde, jantar e ceia da meia noite. Comparando com o custo dos  "Resorts" ou de Clubes fechados, a diferença é muito grande. Basta calcular!



2 comentários:

  1. Fui amiga dele em 2001 no senac.e morro de saudades dele

    ResponderExcluir
  2. Saudades desse gde amigo que fiz em Águas e estudou comigo

    ResponderExcluir